Você não está logado

ENSINE MENOS E APRENDA MAIS

Gil Giardelli

Gil Giardelli

Professor na ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) nos cursos de Pós-Graduação, MBA, Miami Ad School e do CIC (Centro de Inovação e Criatividade) e da FIA-USP (Fundação Instituto de Administração)

Autor do livro Você É o Que Você Compartilha

O pensador Mark Prensky disse: “A fonte do conhecimento não é mais o professor, mas a internet. A educação mais útil para o futuro não está acontecendo na escola. Está acontecendo depois da escola, especialmente em clubes de robótica e na internet como um todo – está acontecendo nos games.”

Dito isso, vivemos o fim de salas de aulas com espaços geográficos definidos e aulas cronometradas? Como a escola supera o tempo e o espaço, em um mundo imediatista? Como prepararemos as pessoas, para um mundo onde as profissões mudam radicalmente a cada cinco anos? O formato atual da escola ajuda a escolher o futuro de promissores alunos?

Não é a hora de cidadãos globais e conectados encontrarem a educação progressista? “As escolas deveriam ser lugares para se aprender, e não para se ensinar. Em vez de isolar os estudantes, as escolas deveriam encorajá-los a colaborar”, escreveu Don Tapscott no livro “A hora da geração digital”

O educador Jeffery Bannister alfinetou sobre os modelos de educação seculares: “Professores que leem anotações manuscritas e escrevem em quadros negros, assim como alunos que anotam o que eles dizem. Esse é um modelo pré-Gutenberg.”

Eric Mazur da Universidade de Harvard afirma: “Educação é muito mais do que mera transferência de informação. A informação precisa ser assimilada. Os alunos têm de conectar a informação ao que já sabem, desenvolver modelos mentais, aprender a aplicar o novo conhecimento e adapta-lo a situações novas e desconhecidas.”

Recentemente fui convidado para palestrar para 300 educadores do Grupo “Salesianas” um grupo que reúne dezenas de escolas no Brasil. Administrado por irmãs católicas, que acreditam na educação como grande motor para o futuro.

A educadora Irmã Raquel, abriu o evento e fez um rico paralelo com o livro “ModernidadeLiquida” de Zygmunt Bauman, proclamando ”Vivemos um tempo que exige repensarmos velhos conceitos. Dar novas formas ou enterrá-los.” Irmã Raquel, convocou suas amáveis educadoras para dar autonomia, ou seja, independência moral e intelectual para os alunos. Para ensinar que alunos devem desde cedo entender o ato de governar a si mesmo, por meio da autonomia do pensar.

“Professores devem ajudar o outro (aluno) a ser autônomo e Genial.. O professor deve ensinar o que significa coletivo e comunidade – em um mundo onde a individualização reina. Ensinar que a tolerância é tolerar o intolerável – em um mundo onde pessoas morrem pela sua opção sexual, religiosa ou politica. (Irã, Afeganistão e Cuba). Ensinar valores inegociáveis neste mundo, como ética, amor ao próximo, gosto pelo inovar e o pioneirismo.” Esta foi a fala da educadora.

Após ricas discussões, sai de lá com vários questionamentos. Acabou a fase, da aula cronometrada em espaços concretos. O espaço escolar, espalha-se pelo blog do professor, Facebook, Orkut, Twitter, redes sociais dos protagonistas da educação?

Educador e alunos definindo o que é periférico e importante?

E para colocar mais pimenta nesta encruzilhada, não contávamos com as rápidas vias digitais. “No século 21, redes de banda larga serão tão cruciais para a prosperidade econômica e social quanto as redes de transporte, água e eletricidade” disse Hamadoun Touré, secretário-geral da União Internacional de Telecomunicações (ITU).

“Conectar regiões rurais remotas à internet e à telefonia móvel, ajudando a libertar os camponeses que vivem da agricultura de subsistência, anteriormente presos ao conhecimento local e aos mercados locais. São novos estudantes, com ensinamentos seculares e locais! Fica claro, que a escola precisa de uma reforma. Ser interativa! Coletiva! Em rede! “Banda largueada”. Como será ensinar para alunos conectados na rede com bandas gigantescas, trocando arquivos, experiências e percepções?

Uma era, onde a simples troca de informação é um motor de grandes mudanças Vivemos o choque entre a era do “seu diploma tem prazo de curta validade” com a pedagogia da era industrial? Do aprendizado em massa à interatividade? Do aprendizado individual ao colaborativo? Da padronização à personalização?

Somente juntos conseguiremos avançar as fronteiras do conhecimento individual para a mentalidade coletiva, saltar para o software da sabedoria das multidões. Vivemos um sopro renovador. São tempos de transição, vamos aprender o “pacifismo, a bondade, o perdão, o amor, a filantropia, a honestidade e a ternura”. No século XXI na era digital precisamos de humanos magnânimos, progressistas, talentosos, sensatos e probos.* Vivemos uma nova música global e como disse Nietzsche “aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a musica.“ Não use velhos mapas para descobrir novas terras! Boa viagem!

9 comentários para “ENSINE MENOS E APRENDA MAIS”

  1. regina judith mancin disse:

    Prof. Gil
    Você fez uma discussão. E… cadê as sugestões de COMO ISSO SE FAZ?????
    abraços, regina

  2. maria aparecida do nascimento melo disse:

    Estamos em um momento, que temos de nos unir também a conexão para passarmos as experiências de sucesso,pois,tudo é novo:até a maneira de ensinar e aprender.Pensando bem seria interessante trocarmos até as experiências de fracasso para evitar que o outro tenha o mesmo resultado .

  3. Cristiano Lippmã Brito disse:

    Então , regina judith mancin , COmo você pode ver o Artigo Acima é exatamente isso, um Artigo, onde a Pessoa , Gil Giardelli Coloca sua Visão que já fAla como fazer isso :

    Quando você Estabelece Prioridades como Aluno(Aluna) você já está filtrando o que é Relevante ou Não!

    Como você faz isso, sendo Professor, você Deve Verificar o que é realmente Prático na Vida Profissional da Pessoa Após Formado , e Verificar o que Realmente Cai em Concurso público ou é realmente Essencial
    Para o Cargo ou Função que se vai Ocupar !

    então, Aplica-se o Estudo das matérias, Ensinando Somente o Relevante !

    ou então, antes de aplicar, se for continuar ensinando o Geral, Deve-se Ensinar Técnicas de Associação, Memorização, Técnicas de Estudos, como Fazer Resumos Eficientes e Eficazes, etc !

    É Possível sim ensinar isso em Sala de Aula Como Complemento Essencial nos Estudos!

    Algumas Escolas Fazem isso como COlégio Pedro Segundo , COlégio Militar e outras

    Alguns Autores de Obras também Mostram como você Aprender Mais e Melhor e Priorizar seus Estudos e Melhorar seu Desempenho Profissional , Fundamentados em Estudos e Artigos ( onde Foram Testados Técnicas que FUncionam ) 2 dos mais Repletos nessa área são os Seguintes :

    William Douglas Fala sobre Aprendizagem ( possui um Livro Muito Detalhado, Bastante Explicativo e Objetivo, Claro e Variado !)
    Albert Dellisola também ( Atua em áreas que falam sobre a Memória e casado com a Miss Memória / Possui alguns Vídeos Relevantes no Youtube, onde você pode Baixar(gratuitamente) e assistir no Conforto de Seu lar ele também já escreveu 2 livros conhecidos como Mentes Brilhantes & Mentes Geniais !/ no caso do Dellisola, vale a pena primeiro vc ver os Vídeos e depois comprar os Livros apesar de baratos : São 6 Vídeos sequenciais de mais ou menos 24 minutos cada um se me lembro bem !

    SUCESSO A TODOS !

    Sou da Cidade do Rio de Janeiro / Zona Norte !

    ATUALMENTE EU ATUA EM ÁREAS COMO:
    EDIÇÃO DE IMAGENS
    EDIÇÃO DE VÍDEOS
    OFICINAS DE AUDIOVISUAL
    Já Participei de Diversos Curta Metragens e Projetos !

    Podem Enviar Mensagem Para Meu E-mail Abaixo:
    Com Dúvidas ou Sugestões, Coloque o tema no Assunto do E-mail, E DIga qual seu Nome Completo de qual cidade e Bairro vOcÊ é !

    CRISTIANOBRITO.PRODUCAO@YAHOO.COM.BR

    ( Favor Excluir o Anterior pois Ocorreram Erros de Digitação , onde Corrigi Nesse Aqui )

  4. José Paulo dos Santos Júnior disse:

    Acredito que iniciativas como dessa natureza ressaltam a importância da leitura e da escrita, instrumentos onde educadores possam transformar através de formação de cidadãos mais críticos e conscientes abrangendo conceitos múltiplos de universos variados com a realidade do aluno e também o mundo exterior ,unindo a grandiosidade do particular e universal e possuir o papel presente na história.

  5. Fernanda Cavalcanti de Mello disse:

    Isso em verdade já não é novo. Mas difundido desde os estudos sobre hipertexto, no inicio da internet. Mesmo assim, há resistência

  6. Dejanira Sebastião disse:

    O texto nos faz refletir sobre a importância do estudo do aluno e coloca o que deve ser pesquisado, uma vez que o estudo for conduzido apenas para o que é relevante, o aprendizado fica mais objetivo e sendo assim, os resultados serão mais proveitosos.

  7. Dejanira Sebastião disse:

    O texto é simples e objetivo, entendemos que o estudo do aluno deve ser direcionado para o que for necessário. Portanto o aluno buscará o conhecimento dentro das expectativas esperadas.

  8. Vera Lucia Cerqueira Santos disse:

    Temos que tornar nossas aulas dinâmicas de diferentes formas e incorporando sim as tecnologias em sala de aula, mas não esquecendo a importância da leitura e da escrita para um bom aprendizado.

  9. Mônica disse:

    O autor cita vários autores sem colocar as referências bibliográficas.
    Seria possível incluir as referências?

Deixe um comentário

Cadastre-se e participe das ações oferecidas pelo portal.